Rita Melo, 30 anos, natural de Aljezur, acordeonista viu um dos seus vídeos do Facebook tornar-se viral, foram mais de quatro milhões de visualizações.

Apanhada de surpresa com a notícia que era a portuguesa que tinha tido o maior número de visualizações num vídeo, Rita nunca pensou que tocar o “Baile de Verão” de José Malhoa numa tarde de Maio causasse um impacto tão grande. Das dezenas e dezenas de canções que dedilha no seu acordeão, esta nada tem de especial mas alguma coisa aconteceu, quatro milhões é um número a ter em conta.

Primeiro fiquei incrédula, não tinha a mínima noção. Depois fui tentar perceber o que se estava a passar, até porque para além de não esperar este “título” de “Rainha do Facebook 2018”, também não fazia ideia que fosse este o meu vídeo com mais visualizações.

A formação e o início de carreira musical

A música entrou desde cedo na vida de Rita, tinha 8 anos quando integrou a Banda Filarmónica dos Bombeiros Voluntários de Aljezur, onde fez a formação musical inicial e onde tocava Requinta (Instrumento de Sopro). Ainda criança, iniciou as aulas de teclado na Escola de Música Solidó, aprendendo, posteriormente, a tocar acordeão. Aos 16 anos, entrou para a Academia de Música de Lagos para desenvolver e aperfeiçoar algumas técnicas, tendo aulas de acordeão, de canto e de formação musical, tudo até ao 3º Grau. Em 2004, iniciou oficialmente a carreira como Acordeonista/Teclista/Vocalista num baile de Carnaval, por mero acaso e não parou até hoje. E num ápice passaram 15 anos.

No baile de Rita, são várias as gerações que se cruzam, se por um lado, a maior parte dos jovens  de hoje em dia têm outros gostos musicais que não passam muito pelo chamado “bailarico”, é nas festas e romarias de verão que velhos e jovens se juntam ao som dos temas mais tradicionais e populares que o acordeão de Rita dá vida pela noite dentro. Apesar do palco ser a sua vida, a acordeonista assume-se como “tímida e envergonhada” mas sempre que aos ombros carrega o seu acordeão tudo fica para trás das costas.

Quando subo ao palco sinto-me extremamente bem, sinto que é a minha zona de conforto. Sou humana, como tal tenho sentimentos e nem sempre estou “em festa”. Também tenho problemas e tristezas, mas ainda assim, eu sinto que quando pego no acordeão ganho uma força e uma alegria enorme. 



Quando toco e canto entrego-me de corpo e alma e isso faz com que transmita ao público diversos sentimentos de acordo com as músicas que toco. As pessoas chegam a dizer-me que os meus olhos (e toda eu) ganham outro brilho quando pego no acordeão e que tenho sempre um sorriso no rosto independentemente daquilo que possa estar a sentir por dentro. 

Uma classe profissional que merece reconhecimento

Rita confessa-se pouco ambiciosa, apenas deseja continuar a fazer o que já faz e melhor. A sua maior ambição passa por lutar por um maior reconhecimento à atividade de acordeonista ou “músicos de baile”, já que na opinião de Rita, “não nos dão o valor merecido”. Em comparação a outros artistas de variedades, as condições de trabalho nem sempre são as melhores. O acordeonista tem de estar disponível para animar uma noite inteira, de pé e com um instrumento às costas, neste caso, o acordeão, que normalmente pesa entre 9 a 16kg. Além disso, a montagem do material, ser se motorista e agente de si próprio está incluído no serviço.

Já cansados, por vezes já com noites perdidas, muitas vezes ainda com longas viagens e para sítios distantes uns dos outros em que ainda somos os nossos próprios condutores! Os nossos palcos em muitos sítios são os mais pequenos, com menos condições… sinto como se fôssemos os meros tocadores de baile que podem trabalhar que nem escravos que não há problema. E isso revolta-me e é inadmissível. Somos tão artistas quanto os “famosos”, só não somos tão conhecidos. Só porque tocamos música “Pimba” (como muita gente diz) já não temos valor. E isto sim é o que mais ambiciono a nível musical…. Sermos valorizados e dignificados.

A internet dá baile

Rita criou a Página Oficial RITA MELO – MÚSICA em 2011, nessa altura, o Facebook ainda não oferecia a ferramenta dos diretos, servindo apenas para partilhar imagens referentes aos bailes que ia realizando. Hoje, faz parte do seu trabalho transmitir em direto para todo o mundo e o número de seguidores ultrapassa os 100 mil.

A página oficial da acordeonista no FB.

A internet tem um papel altamente importante a nível de divulgação e também para quem se encontra distante e não pode estar presente poder acompanhar o meu trabalho na mesma.. É na minha página, ou seja, através da internet, que divulgo sempre a minha agenda, que publico as fotos referentes aos bailes que faço e onde publico pelo menos dois diretos por baile (quando não são mais) sempre que a rede o permite.

Apesar de considerar, a internet uma importante ferramenta para a divulgação do seu trabalho, não a considera essencial, já que o seu trabalho far-se-ia na mesma. A internet permite-lhe sair das barreiras do salão de baile e chegar aos que a seguem virtualmente.

Sinceramente penso que não seria muito diferente, apenas seria muito menos conhecida. Afinal quando comecei a fazer bailes não havia estes meios de divulgação na internet e felizmente sempre tive muito trabalho. Muitas das vezes quem mais nos vê nos vídeos ou diretos não são as pessoas que frequentam os bailes (não que não vejam posteriormente, mas normalmente até estão no baile), mas sim maioritariamente as que não podem estar presentes. São muitos emigrantes, no meu caso, tenho pessoas a seguir-me de todo o mundo.

Mas, nem só da internet vive Rita, para divulgar o seu trabalho, em 2010 lançou o primeiro trabalho a solo “Boa Nova”, seguido de “Algodão Doce”. Participou ainda, com outras artistas, no cd ” Jóias do Sul”e ao Coração Luso, revelou que, devido aos tantos pedidos dos fãs, talvez venha a gravar um terceiro. No que toca a agenda, 2019 vai ser com muito trabalho para a acordeonista, dividido entre Algarve, Alentejo e Zona Oeste e ressalva, que apesar da notoriedade que a internet lhe deu, essas atuações já estavam maioritariamente marcadas antes de Rita ser considerada a rainha do facebook de 2018.

Por fim, o agradecimento de Rita

“Por fim quero só deixar um agradecimento especial à minha Família por estarem sempre comigo e me apoiarem incondicionalmente (especialmente a minha Mãe que está SEMPRE presente e ao meu Namorado que só não está quando o seu trabalho também não permite) e a todos aqueles que, seja presencialmente ou através da internet, gostam, seguem, acompanham, valorizam e divulgam o meu trabalho! Obrigada a todos pelo vosso carinho, pelas vossas mensagens, pelos vossos comentários e por fazerem com que esta profissão que escolhi valha a pena. Sem vocês não seria possível. Obrigada a todos”.

01.05.2017 – Jadim Público de Porto Côvo

Posted by RITA MELO – Música on Monday, 1 May 2017
O vídeo que trouxe Rita para a ribalta

3 COMENTÁRIOS

  1. Mais que merecido este prêmio. É o reconhecimento do teu valor. Já tinha verificado este detalhe: assumes teu verdadeiro ser quando estás de posse do teu acordeão e do microfone a encantar e embalar as noites dos dançantes de Portugal. Quando estás em outra situação no palco não és a mesma. Parabéns e Grande Beijinho!

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.