André Maia deixou Portugal por não haver mais palcos para ele. Fez teatro, telenovelas, musicais e dobragens. Há seis anos, partiu para a Grécia. Em Atenas, André realizou-se profissionalmente como artista e já conquistou os gregos com o seu fado.

 

André Maia tem 51 anos e depois de muito ter lutado em Portugal foi na Grécia que conseguiu realizar-se como artista no seu pleno. Hoje, canta em várias salas de espetáculo em Atenas e tem um programa de rádio, na Rádio Internacional de Atenas, onde comunica com as comunidades, tudo em português.

André é, ele mesmo, um embaixador de Portugal que faz gosto e questão de falar e cantar apenas em português, nos seus espetáculos. A língua portuguesa é a sua grande paixão. Os gregos têm-no aceitado tão bem, que os seus espetáculos têm uma legião de seguidores que apreciam a sua música, tanto que alguns músicos gregos já o convidaram para fazer colaborações.

 

A chegada a Atenas

André chegou a Atenas no dia dos seus anos, a 12 de Fevereiro de 2009. Instalou-se na nova cidade, na nova casa e festejou com os novos amigos Gregos. Tudo era novo para ele, mas “estranhamente familiar” conta. “Trazia comigo na bagagem aquele peso da desconfiança portuguesinha que fica de pé atrás com tudo e com todos. Mas rapidamente percebi que as coisas aqui são jogadas como cartas de jogo limpo. Se é sim é SIM, se é não é Não. Os gregos não fazem fretes e têm opinião própria, sobretudo. Que alívio porque eu também sou assim” refere.

 

As saudades

De Portugal, André diz sentir saudades dos amigos, do pai, de Sintra “adorada”, da água, pastéis de nata e lampreia de ovos.

Se pudesse levar alguma coisa de Portugal para a Grécia seria a gastronomia portuguesa. Da Grécia para Portugal trazia a coragem, a liberdade e a inteligência grega.

 

O Bom e o menos bom

André diz que não tem nada de negativo a apontar, a não ser, o facto de Atenas ser uma cidade muito suja. Quanto a um episódio positivo, conta que num dia normal, ia a caminhar na rua, ao seu lado, ia Varoufakis, Ministro das Finanças grego, cumprimentou-o, disse-lhe que era português e que o Ministro era o seu herói, Varoufakis respondeu – “Nós não precisamos de heróis mas sim de Camaradas”.

 

A cultura na Grécia

Atenas tem uma vida cultural superior a qualquer cidade, André garante que a cidade “respira cultura” e que os gregos não vivem sem isso, são pessoas que saem, que se interessam. É uma cidade viva! A par disso, a nível gastronómico, André diz que os gregos pensam que têm uma grande gastronomia mas, André considera que não, por exemplo o peixe é muito mole, e o uso de ovos é bastante contido. André diz que é impossível não comparar com a gastronomia portuguesa tão rica e diversificada. Em termos religiosos, os gregos são ortodoxos, nas missas não são permitidos instrumentos musicais, apenas vozes!

 

Saí de Portugal no dia 12 de Fevereiro de 2009 porque quis viver o MEU Fado, o MEU DESTINO que sei, não ser mau! E estes anos têm sido prova disso. Depois de mim, muitos amigos saíram também. Nesse ponto, concordo com o Sr. Passos Coelho (na Grécia ninguém é tratado pelo título académico ou de Nobreza) – já se chegou ao limite do sustentável, emigrar tornou-se uma caixa múltipla de oportunidades. E acreditem, nascemos para ser felizes. Isso é uma verdade, um direito do homem e cá fora, RESPIRA-SE.

Artigo anteriorElisabeth Oliveira
Próximo artigoCarlos Tojo
Mara Alves
É a mentora do Coração Luso. Licenciada em Jornalismo e Comunicação, pós-graduada em Jornalismo e mestranda em Jornalismo, Comunicação e Cultura. Foi na Rádio que começou, chegando a colaborar com a Rádio Renascença. Na televisão passou pela RTP2, TVI e, mais recentemente, RTP Internacional. É apaixonada por histórias, gosto que herdou do seu avô. É emigrante no Reino Unido.

1 COMENTÁRIO

  1. Amei ler a tua entrevista e ouvir-te André Maia, tivesse eu menos idade e romava a essa terra onde impera a sabedoria e o conhecimento de um povo amante da Liberdade. Um povo que te recebeu concerteza de alma aberta. E têm razão porque têm um belíssimo intérprete e actor que leva a cultura portuguesa a um povo que é culto e reconhece o que de bom existe num país onde a cultura é muito mal tratada. Obrigada André Maia pelo trabalho que desenvolves . Obrigada por seres quem és um homem Culto e bom, beijinhos André.

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.