Tatiana Medeiros, 23 anos. País de residência: Noruega; naturalidade: Leiria.

Viver na Noruega era algo que Tatiana já ambicionava, o caminho foi preparado e a mudança aconteceu há pouco mais de um ano. Um período que já permite a Tatiana fazer um balanço: «em termos de trabalho, estou a tentar progredir. Mas em termos pessoais progredi muito! A diferença cultural é enorme e com isso deixei alguns dos preconceitos e barreiras que colocava a mim mesma e aos outros. Viajei para vários países, conheci várias culturas, aprendi, ouvi e vi histórias de pessoas diferentes. Senti um amadurecimento enorme em mim e na minha maneira de ser», conta Tatiana.

 

Uma emigrante «integrada»

«Bem, posso dizer que sou uma emigrante bem integrada. Uma das que se orgulha do seu país de origem, que dá importância a tudo o que de lá provém. Mas que não pensa em voltar nos próximos anos. Recomendo sempre Portugal, como um bom destino de férias, tento dar o ponto de vista de ser portuguesa e tentou ao máximo desmistificar o “ser português”, apagar os estigmas que existem sobre nós», refere.

Na cidade onde vive, Kristiansund, existem mais portugueses, no entanto, a relação entre Tatiana e os patriotas não é uma preocupação. «Não conheço muitos portugueses que moram na mesma cidade que eu. Por vários motivos… O principal é porque suporto pouco a vaidade e maneira de ser “tuga no estrangeiro”. Prefiro pessoas que se comportem naturalmente, sem a mania das grandezas. Dou-me com bastantes noruegueses, mais no trabalho do que socialmente. Mas não me queixo de solidão! Também há outros estrangeiros aqui. Já criei boas amizades com alguns».

 

Curiosidades norueguesas

Cumprimentos

«No primeiro encontro não se dão beijos ou abraços, ao contrário do que estamos habituados. Mas sim um aperto de mão. Pode ser complicado nas primeiras vezes.»

Diversão

«A diversão nocturna pode ser chocante até nos habituarmos. Primeiro, os bares e discotecas estão abertos no máximo até às três da manhã, depois, porque o consumo de álcool é exageradíssimo! Ouvi da boca de vários noruegueses: “Nós não bebemos para nos divertir e ser sociais. Nós bebemos para ficar KO”.»

Alimentação

«Apesar de importarem muitos pratos de cozinhas do mundo, a comida tipicamente norueguesa é bastante diferente da portuguesa. Além dos horários e da frequência dos restaurantes. Existe apenas uma refeição principal diária, de resto, são pequenos lanches, essencialmente feitos de pão com qualquer coisa. Acreditem, eles têm uma habilidade incrível de criar sandes com qualquer coisa.»

 

Portugal e as saudades

O sol

«Tenho saudades principalmente do sol, do bom clima onde se pode andar sem casaco sem ter medo de que, de repente, comece a fazer frio.»

A gastronomia

«Às vezes, também sinto falta de comida e bebida que é difícil encontrar aqui.»

As pessoas

«E claro que sinto falta das pessoas que são, de certa forma, deixadas para trás e dos acontecimentos em que gostaríamos de estar presentes e não podemos.»

Os sonhos

«Quero pensar que estou no caminho certo.»

Os estudos

«Neste momento, quero muito entrar na universidade, para um dia conseguir fazer o que realmente gosto. Tenho o desejo de trabalhar em relações internacionais e, com esforço e dedicação, hei-de lá chegar.»

As viagens

«Quero continuar a viajar ainda mais, conhecer pessoas e ouvir histórias que me permitirão viver a vida de uma maneira mais sábia. Gostaria também que a minha história tivesse o mesmo significado na vida de outras pessoas.»

Trabalhar em Portugal… um dia

«Daqui a bastantes anos, talvez. Actualmente, prefiro pensar em ficar por aqui. E a médio prazo até, experimentar outros países.»

 

Tatiana, uma pessoa diferente

«Estou muito diferente… Tenho mais maturidade, experiência de vida, tolerância para com os outros e comigo mesma. Aprendi a levar a vida de forma mais calma e aproveitar pequenos detalhes a que antes dava pouca importância.»

 

Portugal versus Noruega

«Da Noruega para Portugal levaria a organização, a eficiência e a objectividade. De Portugal para cá, traria o clima, claro, um pouco do calor humano e, já agora, alguns objectos pessoais que ainda não tive oportunidade de trazer.»

 

Uma frase para definir a experiência

«Preparado para a decepção, pronto para a superação, acreditando na vitória. E nisso que nunca deixo de acreditar.»

 

Mais do que tudo é um Coração Luso

No geral, sou uma jovem coração luso com vontade de conhecer o mundo! Orgulhosa em ser um coração luso. Gosto de tudo o que o país tem, mas, ao mesmo tempo, sinto uma dor neste luso coração ao ver como as coisas boas estão desaproveitadas e as coisas ainda melhores largadas ao abandono. Mas também sinto o meu coração luso a ser invadido, pouco a pouco, por outras culturas e saberes, tão diferentes dos nossos, mas bons da mesma maneira.

 

Oiça aqui uma música norueguesa sugerida pela Tatiana

Artigo anteriorGonçalo Cardoso
Próximo artigoAlexa Rodrigues
É a mentora do Coração Luso. Licenciada em Jornalismo e Comunicação, pós-graduada em Jornalismo e mestranda em Jornalismo, Comunicação e Cultura. Foi na Rádio que começou, chegando a colaborar com a Rádio Renascença. Na televisão passou pela RTP2, TVI e, mais recentemente, RTP Internacional. É apaixonada por histórias, gosto que herdou do seu avô. É emigrante no Reino Unido.

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.